Receba novidades em seu e-mail
OK
Área do usuário

A disciplina na Educação Infantil

A disciplina na Educação Infantil, Regras de convivência, Castigos e recompensas, Summerhill, trabalho pedagógico, A função da criança.

Além das brigas, em sala de aula é bastante comum ouvirmos reclamações das crianças ou todos falando, gritando ou pedindo ajuda ao mesmo tempo. Temos também as crianças desatentas que se distraem com tudo. E as crianças que se mexem demais, que não param um só instante. Ao trabalhar a disciplina precisamos analisar alguns aspectos: a idade específica destas crianças, quais são as suas capacidades e como iremos organizar as atividades que pretendemos realizar. É interessante que, ao propor uma atividade, o professor já tenha preparado o material e o ambiente em que trabalhará com o grupo. Além disso, temos que pensar o tempo de duração das atividades. Além disso, a convivência necessita do estabelecimento de algumas regras.

Regras de convivência

Os momentos de conversa com todo o grupo tais como as conversas de roda, são oportunidades que merecem ser aproveitadas para a definição de regras essenciais, tais como respeitar a vez do outro falar, como usar o banheiro etc. É interessante que essas regras sejam registradas e que fiquem disponibilizadas para todos. A criança participa da construção de regras, aprende a ser parte de um grupo, ao mesmo tempo em que desenvolve sua autonomia.

Normas de convivência, hábitos de higiene e organização acompanham sempre adultos e crianças durante a realização de qualquer tipo de atividade. O professor precisa ter consciência que estas questões precisarão ser discutidas muitas vezes com as crianças. Trata-se de um processo de interiorização, no qual a criança aprende com o tempo e com a repetição. É preciso ter paciência, constância e firmeza. O exemplo dos pais e dos professores é fundamental. A partir dele, as crianças se baseiam para construir as suas próprias relações sociais.

DISCIPLINA à LIMITES.

E o que são limites? É quando definimos o que pode e o que não pode ser feito em diferentes situações. A compreensão do trabalho pedagógico e da linha de pensamento educacional da família é fundamental para todos: criança, educador e pais. A essência da autonomia é que as crianças se tornem aptas a tomar decisões por si mesmas. Autonomia significa levar em consideração os fatores relevantes para decidir e agir da melhor forma para todos.

Castigos e recompensas

O ideal é que não precisemos punir a criança e sim, consigamos fazê-la compreender o porquê da proibição. A criança não precisa ser recompensada com um presente ou com um elogio por aquilo que ela fez. O prazer de agir corretamente já é o suficiente para ela.

Summerhill

A escola de Summerhill foi fundada em 1921 e está situada na aldeia de Leiston, na Inglaterra.

Alexander Neill e sua esposa, quando começaram a escola, tinham como idéia principal: fazer com que a escola se adaptasse às crianças, em lugar de fazer com que as crianças se adaptassem à escola. Para eles, o ensino em si mesmo não é tão importante quanto a personalidade e o caráter. A função da criança é viver suas próprias vidas que seus pais, angustiados, pensam que elas devem levar. Neill acredita que Summerhill é a escola mais feliz do mundo, onde as crianças são saudáveis, livres e cujas vidas não estão contaminadas pelo medo e pelo ódio.

Por Renata Gonçalves


  • quinta-feira | 14/08/2014 | FATIMA


    proveitoso



Brasil Escola nas Redes Sociais