Receba novidades em seu e-mail
OK
Área do usuário

Platão o filosófo das ideias

Platão o filosófo das ideias, O método filosófico de Platão, Platão concebia a filosofia em três níveis, O estilo de Platão era imaginativo, literário, político e alegórico.

Platão é o filosofo das idéias

Portanto não quer saber do utilitarismo, do convencionalismo, do relativismo dos sofistas , o homem para Platão é dualista ( corpo e alma ) sua filosofia não se interessa pelo homem em sociedade e sim o divino no homem.
O mundo das idéias, o mundo das formas e o mundo dos conceitos passam a serem primordiais em sua filosofia. “Idealismo platônico, espiritualismo, e realismo das essências” filosofia e dialética se identificam como processo na busca dos valores absolutos. Para Platão o mundo é cópia, aparência e imitação de um mundo perfeito ou seja mundo realmente real.

O método filosófico de Platão segue algumas etapas definidas:

Das imagens atinge-se uma definição, mesmo que provisória, procede-se então à divisão dialética, que busca a espécie e o gênero próprio do objeto procurado, e finalmente atinge-se à ciência , ou seja chegamos agora a definição mais perfeita do objeto.

Sua crítica à democracia ateniense e a procura de soluções políticas do mundo grego foram preocupações centrais da vida e da obra daquele que é por muitos considerado o maior pensador da Antigüidade: Platão. Nele, filosofia e ação política estiveram permanentemente interligadas, pois alimentou sempre a convicção de que “... os males não cessarão para os humanos antes que a raça dos puros e autênticos filósofos cheguem ao poder, ou antes que os chefes das cidades, por uma divina graça, ponham-se a filosofar verdadeiramente”.
( Carta VII)

Portanto sua obra filosófica representará vários aspectos para a expansão de um pensamento alimentado pelo clima de liberdade e justiça e dignidade política.

Platão nasceu em Atenas em 428 a.C. e morreu em 348 a.C. , filho de Ariston e de Perictone, pertencia à tradicional família de Atenas e estava ligado sobretudo pelo lado materno, figuras eminentes do mundo político, sua mãe era descendente de Sólon, o grande legislador e irmã de Cármides e prima de Critias dois dos trinta tiranos que dominaram à cidade durante algum tempo.

Portanto se Platão em geral se manifesta desapreço pelo políticos de seu tempo ele o faz como alguém que viveu nos bastidores das encenações políticas desde à infância, suas críticas à democracia ateniense pressupunham um conhecimento direto das manobras políticas e de seus verdadeiros motivos.

A sua vida transcorreu, portanto entre a fase áurea da democracia ateniense e o final do período helênico: sua obra filosófica representará , em vários aspectos, a expansão de um pensamento alimentado pelo clima de liberdade de seu apogeu político.

Na sua juventude conheceu Crátilo, Heráclito de Éfeso sobre a mudança permanente de todas as coisas e interpretando de forma parcial e empobrecida a tese heraclítica , mas o grande acontecimento foi o encontro com Sócrates.

Possuído de um ideal político, Platão não estaria interessado em fazer parte do círculo do discípulos de Sócrates.
Sócrates era um amigo de vários membros preeminentes de sua família , Platão fala dele não como um mestre , mas como um “Velho Amigo”, por cuja pessoa tinha uma profunda admiração. Foi pois o exemplo de sua vida, o abalo de sua morte e o subsequente exílio que o aproximaram da Filosofia, quando Sócrates foi acusado de corromper a juventude , por difundir idéias contrárias à religião tradicional, Platão aprofundou o seu desencanto com a política e a democracia chegando a fundamentar-se na justiça , na prudência e amizade.

Cerca de 387 a.C. Platão funda em Atenas a Academia sua própria escola de investigação científica e filosófica torna-se o primeiro dirigente de uma instituição permanente voltada para a pesquisa original e concebida como conjugação de esforços de um grupo que vê no conhecimento algo vivo dinâmico e não um corpo de doutrinas a serem simplesmente resguardadas e transmitidas. Das atividades da Academia a filosofia fundamentalmente filosofar.

Platão concebia a filosofia em três níveis , três disciplinas filosóficas:

Dialética, incluindo a Filosofia do conhecimento ( a verdade) e metafísica (o ser).
Física, entendida como o conjunto de todas as ciências naturais e psicológicas.
Ética, o conjunto do comportamento moral.

Criador da Metafísica : meta = além, física = mundo natural das coisas, matéria, movimentos e lei da física. Portanto a metafísica pode ser considerada o estudo das coisas que estão além da física.

O estilo de Platão era imaginativo, literário, político e alegórico

O pensamento político para Platão não se limita à prática insegura e circunstancial, deve pressupor a investigação sistemática dos fundamentos da conduta humana, a política poderia deixar de ser o jogo fortuito de ações motivadas por interesses nem sempre claros e freqüentemente pouco dignos, par ase transformar numa ação iluminada pela verdade e um gesto criador de harmonia , justiça e beleza.

Seu pensamento político pode ser encontrado em dois livros: A República e as Leis

Platão dividia o Estado em três classes: dos lavradores, dos guerreiros e dos magistrados, Embora o pensamento político de Platão contivesse idéias utópicas , ele expressava uma confiança como força fundamental do Estado.
Sua obra consta basicamente de diálogos , além de treze cartas. Ë com Platão que os diálogos se tornam verdadeiramente gênero literário . Eles se constituem como um drama, em que o local e a época onde se desenvolvem são indicados. A discussão ou dialética é a alma dos diálogos. Platão é o primeiro filósofo do qual possuímos , ainda hoje uma obra substancial o que nos possibilita analisar e estudar seu pensamento como um todo. Entretanto pelo próprio caráter literário de sua filosofia é difícil de resgatar um sistema filosófico de todos os seus diálogos.

Movimentos denominados neoplatônicos( que procuraram ressuscitar a filosofia de Platão) surgem em diversos momentos da história do pensamento, e são essenciais para a compreensão da filosofia medieval e mesmo do Renascimento. A filosofia platônica é muito importante no movimento literário denominado simbolismo , no final do século XIX. Alguns mitos, como o da caverna e do Fedro possuem caráter universal, funcionando com símbolos coletivos , e são ainda hoje lembrados , em todos os períodos, por toda a “filosofia e literatura mundial”. Realçam basicamente a diferença entre o mundo sensível das aparências e o mundo inteligível das idéias. A leitura dos Diálogos de Platão, mostra-se crítica e reveladora em face dos problemas que enfrentamos , constitui-se numa experiência única e valiosa, não só para o administrador de empresas, mas para qualquer ser humano de nosso tempo.

Ë com Platão que a racionalidade ocidental se constitui. A construção do conhecimento constitui, assim, no platonismo, uma conjugação de intelecto e emoção, de razão e vontade: a episteme é fruto de inteligência e de amor.

BIBLIOGRAFIA :
MOTTA, José Américo, Seleção de textos , tradução de notas de José Cavalcant de Souza ,
Jorge Paleikat e João Cruz Costa. Os Pensadores. São Paulo
Abril Cultural, 1983 2ª edição. Páginas 07 à 21.

BENTON. Willian. Enciclopédia , Barsa. Encyclopuedia Britannica
Editores Ltda. Rio de Janeiro, São Paulo 1964 / 1965.

NETO, Henrique Nielsen. Filosofia Básica. São Paulo:
Atexal,1986.3ª Edição Páginas 219 à 221.

MÁTTAR, João. Filosofia e Administração. Editora
Makron Books. Páginas 19 à 25.

Por Mercia Diniz Silva Morato




Brasil Escola nas Redes Sociais