Receba novidades em seu e-mail
OK
Área do usuário

Leitura e Escrita

Leitura, Escola, A escola deve se despertar para a nova realidade, A sociedade deve garantir o direito da leitura.

Leitura, a maneira de como se aborda algo através de questões complexas. Trata sobre as funções que a leitura desempenha e a matriz que a trabalha: a escola.

A leitura e a escrita hoje, tem sido consideradas, comandos básicos de um ser humano comum aos outros, como forma principal de comunicação e sobrevivência, por assim dizer. Em épocas antigas, estes dois meios de comunicação, eram vistos apenas como prestígio, riqueza, luxúria, porém, em dias atuais, são essenciais e não podem ser desprezados.

Em certa ocasião, Platão afirmava ser contra a escrita, para o pensador estavam claros dois aspectos: o valor atribuído ao dialogo socrático não escrito e a natureza de sua própria produção textual, da qual ao combater a escrita, não conseguia se afirmar o esquecimento, e sim o aquecimento e solidificação cada vez mais forte do pensamento.

O livro, quase mítico, estava, ou ainda está em lenta, mas ao mesmo tempo, profunda e rápida extinção, já que da atualidade não esta sendo necessário, pois tudo o que um livro poderia informar, o meio eletrônico informa e ainda com mais rapidez e economia de espaço, pois o que um grande livro ocuparia, serve em um disquete de 10 gramas.

“A imagem bloqueia as possibilidades de leitura” vai contra o termo de que” a afirmação oposta, de que a imagem estimula a leitura também é válida”. Porém, percebemos que imagem e escrita estão afiliadas,na busca de uma resposta lógica e verdadeira. Elas trabalham no cinema, TV, entre outros.

Alguns itens, como os grupos letrados, instauram como processo de natureza histórica, de tal forma que ainda se trata como algo integrador e imprescindível.

A leitura não é um ato solitário, isolado. Quando se lê um texto, não se interage diretamente com o texto, mas com leitores virtuais criados pelo autor e também com o próprio.

O leitor é sempre parte de um grupo social, no qual ele sempre mostrará sua leitura aos outros, e para a leitura, trará suas experiências de vida e visões individuais do mundo.

A sociedade deve garantir o direito da leitura e escrita a todos os cidadãos.

A escola deve se despertar para a nova realidade, pois da maneira como é guiada não estimula a leitura e a escrita, pois o mundo atual não impõe e nem ao menos se diz que precisa mais delas, com tantas facilidades e mordomias. Uma comparação de antigamente, seria de que se lia mais em escolas, no quarto em casa, e hoje, lemos mais jornais, revistas, outdoors, pois precisamos nos habituar a estar sempre informados para que consigamos ter nossa carreira bem trilhada.

O leitor contemporâneo está com um perfil muito diferente do que a escola ainda insiste em trabalhar, dando conflitos entre si.

A escola parece ignorar a passagem do tempo, desconhecer as novas habilidades mundiais, e não enxergar a realidade. A criança, o jovem, e o adulto, gostam sim de ler, mas, porém, se sentem de maneira odiada, ao ter que ler na escola, já que em 98% dos casos, os textos, mesmo considerados clássicos, não são capazes de despertar o mínimo de prazer e interesse na pessoa.

É certo que as características básicas apontadas necessitam de preservação, mas elas ficarão melhor quando trabalhadas de melhor forma, ampliadas, atualizadas por dimensões políticas, históricas e sociais, que presidem um ato de ler.

Por Marco Aurelio Moreno Silva Japiassú




Brasil Escola nas Redes Sociais