Receba novidades em seu e-mail
OK
Área do usuário

A Importância do acadêmico de direito na sociedade contemporânea

A Importância do acadêmico de direito na sociedade contemporânea, a inconstentável importância do direito, o empenho do acadêmico para obter uma boa formação.

É incontestável a importância assumida pelo estudante de Direito nos tempos atuais No entanto, para que se discorra sobre o assunto faz-se necessário levantar um questionamento: mas afinal o que é e para que serve o Direito?

Pode-se definir como sendo a “arte do bom e do justo” (Celso, séc. I). Seu papel é racionalizar a vida em sociedade compatibilizando-a com as diferenças individuais e coletivas existente nesta. Ou seja, o Direito é a ciência normativa do “dever ser” (impõe ao homem as normas de condutas exigidas pela sociedade) que te por finalidade a solução de conflitos de forma justa e sem a qual não se manteria uma sociedade bem estruturada.

Obtendo-se uma sociedade organizada de forma justa, pode-se dizer que a mesma encontra-se em “ordem”, uma vez que se defini ordem como uma organização desejada e que satisfaça às necessidades do homem, podendo ser pré-estabelecida ou não.

Nesse contexto, o papel fundamental, dentre os vários do acadêmico de Direito e esforça-se para manter e aprimorar na prática os conceitos acima descritos, assim como repassar a sociedade o respeito e confiabilidade de que dispões o operador de Direito e o Direito propriamente dito. Trabalho esse árduo em tempos em que se vê o crescimento dos casos de injustiça e a falta de ética de profissionais pouco preparados que contribuem para a degradação da imagem do jurista perante a sociedade, fazendo com que esta ponha em duvida a eqüidade a qual o Direito destina-se. No entanto, afirma-se que se não a mais, é no mínimo uma das mais importantes profissões disponível a sociedade e que garante o seu perfeito caminhar. Para isso baste dispor de um pouco de tempo para imaginar como seria um grupo social sem o Direito, onde pessoas pensam de forma diferente, onde a segurança dependeria única e simplesmente da moral e dos bons costumes (o que na realidade não se vê) excluindo-se a necessidade de um serviço de segurança ou justiça, onde o poder estivesse concentrado nas mãos de alguns poucos privando a liberdade de muitos, um lugar onde não podesse se manter a paz e a ordem.

Ser acadêmico de Direito e assumir como armas de trabalho o compromisso de fazer uma sociedade melhor, pactuando com a justiça e criando um novo mundo onde se deseja reinar a harmonia, o que seria um tanto quanto contraditório ao acadêmico quando profissional, uma vez que o Direito existe para solução de conflitos e não para celebração da paz. É um caso a pensar.

Na sala de aula, o acadêmico comprometer-se-á com o empenho efetivo para sua boa formação, tendo a eqüidade como meta e acima de tudo adquirindo um perfil reto e probo para que tal ciência, o Direito, seja exultada com todas as reverências que a tempos recebe, mas que em alguns momentos parece ser questionada. Reverências estas que fazem com que a o Direito seja o sonho de realização profissional de muitos, e que necessita do real reconhecimento por parte daqueles que o exerce.

Contudo, mediante os fatos expostos acima, torna-se incontestável a importância do Direito e mais precisamente do Acadêmico de Direito para sociedade na garantia da construção de um amanhã melhor e mais justo. Podendo-se assim reafirmar o que disse Celso ao referir-se ao Direito como “arte do bom e do justo” porque assim verdadeiramente o é.

Por Rafael Normando Miranda




Brasil Escola nas Redes Sociais