Receba novidades em seu e-mail
OK
Área do usuário

A importância das bactérias

A impotância das bactérias, Qual é a função das bactérias,Saiba sobre as Doenças bacterianas.

As bactérias têm uma função ecológica de fundamental importância para a manutenção de vida em nosso planeta. Destacam-se, neste caso, as bactérias decompositoras ou saprófitas, as que vivem em mutualismo com outros seres como as que associam-se a leguminosas ou a ruminantes, além das espécies que têm importância em vários campos industriais e na agricultura.

Portanto, vários motivos justificam o fato de o mundo bacteriano se revestir da mais alta importância para a humanidade. A microbiologia, ciência que estuda os microorganismos, permite a familiarização necessária com esse grupo microscópico e oferece condições para o aprimoramento dos conhecimentos nos mais diversos campos da ciência.

Doenças bacterianas
Salmoneloses

Salmoneloses humanas são infeções causadas por bactérias do gênero Salmonella. Possuem o antígeno ou o somático ( endoloxina ), antígeno N ou flagelar e em algumas espécies o antígeno de virulência. São classificados em 2200 sorotipos, com base na combinação dos antígenos O e H

Fagotipagem, padrão de sensibilidade aos antimicrobianos e recentemente, técnicas de biologia molecular tem-se mostrado úteis aos estudos epidemiológicos particularmente na definição de cepas responsáveis por surtos epidêmicos.

Epidemiologia

A transmissão das Salmoneloses ocorre principalmente por via indireta através de água e alimentos contaminados pelas fezes de Homens e animais contaminados. A contaminação fecal dos reservatórios hídricos relaciona-se com a disseminação da Salmonella cujo reservatório é o Homem infectado. Porém, a melhoria a melhoria das condições sócio-economicos em algumas regiões contribui diretamente na redução na incidência dessas infeções.

 A transmissão inter humana, que ocorre através das mãos de fômites, adquire importância cresce em locais como hospitais e creches. Existem inúmeros relatos de surtos epidêmicos de salmonelose em berçários e enfermarias pediátricas, especialmente pelo sorotipo Salmonella typimurim.

Portanto deve-se salientar a necessidade dos cuidados de higiene individual e detecção precoce de portadores, principalmente em manipulares de alimentos e profissionais que lidam com crianças institucionalizadas.

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Com relação ao hospedeiro, algumas condições ou doenças aumentam sua suscetibilidade: neutralização do PH gástrico( acloridria , antiácidos e bloqueadores H2), redução no tempo de esvaziamento gástrico(vagatomia e gastroenteroanastomoses), gastrectomias extremos de idade, (menores de 05 e maiores de 50 anos), desnutrição, deficiências na imunidade celular,( leucemia, linfomas, corticoterapia e AIDS), doenças intestinais ( doenças inflamatórias crônicas e encoplasias), e doenças hemofílicas ( anemia talciforme, malária e outras hemoglobinopatias).

Os principais quadros clínicos são gastroenterocolites, febre tifóide, bacteriemias, infeções estraintestinais localizadas e o portador crônico ( intestinal ou urinário).

BACTERIEMIAS E SEPTICEMIAS

As salmonellas podem invadir a corrente sangüínea e produzir septicemias ou bacteriemias de duração variável, principalmente em portadores de Síndrome de Imunodeficiência Adquirida.

As bacteriemias manifestam-se como febre de origem indeterminada. Em ambos o diagnostico é possível pelo isolamento de agente em hemocultura. Cerca de 10% evoluem com infeções localizadas.

FEBRE DA MORDEDURA DE RATO

 Mordeduras ocasionadas por ratos e outros roedores são freqüentes, produzindo as vezes mutilações graves, normalmente entre crianças e indivíduos idosos. Relacionam-se as seguintes infeções que decorrem das agressões desses animais: Sodoku ( do japonês só, rato; veneno) causada pelo Spirillum minus, bactéria na orofaringe de roedores,febre de haverhill, determinada pelo Streptobacillus moniliformis e a pasteurelose ocasionada pela pasteurela multocida. Também a Leptospirose pode suceder a mordedura. A peste (Yersinia pestis) deve ser considerada, muito embora a transmissão habitual seja pelo vetor que é a pulga própria do rato.

Infeções em seguida à mordedura de rato são comuns em áreas urbanas de pouca higiene e com pessoal de laboratório que utiliza animaizinhos de experimentação (camundongos brancos, hanster) está sujeito a contrai-las também. Alem da mordedura, alimentos contaminados por roedores podem ser veículos de transmissão. A febre de Haverhill, por exemplo, tem sido transmitida por leite cru contaminado.

As manifestações clínicas podem incluir febre, cefaléia, vômitos, calafrios, mialgias, exantemas linfonodopatias, altralgias com derrames articulares e ulceração no local da mordedura. Como complicacões arrolam-se endocardite, pneumonia, pericardite, infartos sépticos e abscessos.

O diagnóstico pode ser sugerido por contagem elevada de glóbulos brancos com desvio à esquerda e eventualmente trombocitopenia. O diagnóstico de certeza se procede por cultura do sangue, do tecido gânglio ou pesquisa em campo escuro, do material de lesão: inoculação em animal de laboratório e provas sorológicas são também recursos diagnósticos.

Para tratamento a penicilina é a droga geralmente utilizada.

Para a prevenção de tais infeções recomenda-se cuidadosa lavagem com bastante água e sabão no local da mordedura, mais a prescrição médica . Deve ser considerada a situação imunitária em relação ao tétano. Quando a raiva for prevalente em outras espécies animais da região e a agressividade do roedor for incomum deve-se pensar, também na imunização contra essa doença.

ÚLCERAS

Entre metade e um terço da população mundial é portadora da bactéria Helicobacter pylory, uma bactéria lenta que infecta alguns estômagos e pode provocar úlceras e câncer neste local.

Por Equipe Brasil Escola


  • quarta-feira | 29/08/2012 | natiely


    gostei desse site .. me ajudou muito :) legal mesmo ...!



Brasil Escola nas Redes Sociais